O que é Hidromag

Tratamento de Desencrustamento e Anteincrustante com “Hidromag”

sam_0181foto-emp-quator-2

“HIDROMAG”:

Dispositivos que são fabricados com a capacidade de transformar os cristais de depósitos duros (incrustações-calcitas) em aragonitas. Tendo uma vida útil muito prolongada, a cada cem (100) anos, tem uma perda de 2 a 5% de intensidade magnética.

É um produto desenvolvido para terminar definitivamente com os fenômenos calcários que provocam as alterações, e até a paralisação de produção, causados pelo aquecimento dos equipamentos devido a corrosão e incrustações nos encanamentos por onde circula água para o resfriamento.

Funcionamento do HIDROMAG:

Principio de funcionamento: É um processo físico

O HIDROMAG trata a água fisicamente, sem alterar sua composição química e sem ficar em contato com ela, modificando a estrutura cristalina dos sais (calcita) para uma composição não incrustante (aragonita).

EFICÁCIA do HIDROMAG – A água: Generalidades

A água é uma molécula constituída por dois átomos de hidrogênio e um de oxigênio, sua fórmula química é H2O.

Desde o ponto de vista físico as moléculas têm uma estrutura triangular formada por um ânion oxigênio (O2) e dois cátions hidrogênio (H+) com isto podemos dizer que as moléculas de água tendem a se orientar sob a ação de um campo elétrico, dirigindo os extremos positivos (H+) para a placa negativa (cátodo) e os negativos (O2) para a placa positiva (anodo)2

A constante dielétrica é a resistência de uma molécula a se orientar quando é sujeita a ação de um campo elétrico. Na água esta constante tem um valor de 80 e tal como a conhecemos, todas as moléculas estão unidas entre si por enlaces de hidrogênio. Estes são de natureza eletrostática e, por conseguinte, flexível, o que permite sua deformação. A força de atração ou repulsão é inversamente proporcional á constante dielétrica, pelo que no interior da água estas forças resultam 1/80 vezes do que seriam no ar ou no vazio. Este é o motivo fundamental pelo qual os sais dissolvem-se na água com tanta facilidade e compartilham esse meio com moléculas, íons, microorganismos e outras partículas em suspensão.

Que significa isto?

Se numa solução de água colocamos cloreto de sódio (sal comum) e bicarbonato de sódio, estas substâncias quando são atravessadas por um campo elétrico ou magnético desprenderão a mesma quantidade de íons que sua composição química primária teria.

Portanto, sua morfologia como sal é alterada modificando suas características.

Esta desintegração molecular também executa uma função sinergisante ao resto do sistema aquoso, o qual torna possível que as soluções insolúveis, se dissolvam.

Segundo FARADAY o processo é imediato, sendo normalmente conhecidos como “fenômenos eletrolíticos”. Em algumas circunstancias os intercâmbios iônicos são suficientemente espontâneos como para que se produzam desprendimentos de gases, por exemplo: Carbonato de Cálcio -à Anidrido Carbônico –à CO2.

Modificação na estrutura física dos sais

Os carbonatos (sais) em estado de cristais de calcita (cristais duros) presentes no fluído são deformados na sua estrutura física para uma estrutura amorfa (cristais de aragonita) quando atravessam um campo magnético gerado por imas permanentes, os quais constituem o fundamento do HIDROMAG.

Como resultado deste efeito, vários processos têm lugar em forma consecutiva dentro do sistema:

Limpeza do sistema.

O fluxo da vazão no circuito coloca a energia cinética necessária para facilitar a remoção das incrustações existentes através do simples processo de erosão aplicado pelos cristais de aragonita no fluido sob a capa incrustada de cristais de calcita.

HIDROMAG facilita a recuperação da vazão na sua capacidade normal e a eficiência produtiva em maquinários com trocador de calor.

Prevenção de novas incrustações.

Em um circuito de água novo ou limpo de incrustações, o HIDROMAG impede a formação de novas incrustações em todo o trajeto do mesmo. Os cristais de aragonita, possuindo a mesma composição química que as calcitas, elas não incrustarão novamente, pelo contrario, continuarão seu fluxo normal no sistema até sua saída no ponto de consumo final ou purga do sistema.

Prevenção dos processos corrosivos.

Após manter todo o circuito livre de incrustações nas suas superfícies metálicas ou plásticas, simplesmente reduzem-se de forma drástica os processos de corrosão natural. Isto acontece graças a dois efeitos que se produzem ao mudar a estrutura cristalina dos sais do fluído:

1) Ao evitar a formação de incrustações permanentes de sais na superfície de tubulações e maquinários, o HIDROMAG evita processos de corrosão por efeito Evans (um sedimento sob uma superfície metálica origina uma zona corrosível embaixo do depósito, devido ausência de oxigênio dissolvido).

2) Ao diminuir a salinidade (diminui o efeito da salinidade ao se transformar as sais), o HIDROMAG diminui a capacidade da corrosão galvânica (um fluído menos salino é menos condutor eletricamente falando, fato que detém a corrente galvânica e paralisa a corrosão, ou tende a frear sua velocidade em forma significativa).

Águas Duras, uma Questão de Ions.

Praticamente em todos os setores de produção industrial utiliza-se água, mas nenhum deles está isento dos efeitos de seus componentes naturais. A impureza que leva maior atenção é a dureza da água.

Nos referimos a presença de íons dissoltos (partículas sólidas com carga elétrica ) em especial íons de cálcio [Ca²+] e íons magnésio [Mg²+] com cargas elétricas positivas (cátions), provenientes da erosão e desintegração de rochas calcárias e sedimentos vários presentes no meio ambiente, principalmente em águas subterrâneas.

A carga positiva destes cátions sólidos sofre uma espécie de balanço com a presença de anions (com carga negativa) dos quais os mais influentes são os bicarbonatos [ HCO ] e os carbonatos

[CO ] . Estes ânions têm sua origem no dióxido de carbono [CO ] dissolto naturalmente na água.

Os íons com cargas opostas, negativas, participam em bom número de fenômenos químicos, entre eles a cristalização (origem das incrustações calcárias) e reações eletroquímicas de oxidação (origem da corrosão galvânica). Ambos processos acontecem de forma espontânea sempre que participem no sistema compostos salinos, (água, oxigênio, médio ácido) e uma superfície metálica propensa a receber as incrustações e ficar corroída.

Cristalização: origem das incrustações

Os íons de cargas opostas unem-se entre si (devido a forças eletrostáticas naturais) mediante enlaces iônicos seguindo um esquema regular e ordenado que se manifesta na forma de um cristal, sendo estes os responsáveis pelo aspecto sólido e consistente dos sais.

O enlace iônico se fundamenta na força de atração eletrostática entre íons de cargas opostas (anions e cátions).

A cristalização acontece sob condições comuns em muitos campos de aplicação das seguintes formas:

1) Sob-saturação de íons sólidos em solução (maior quantidade do que a solução aceita em estado de equilíbrio).

2) Nucleação inicial de cristais devido à combinação de íons da solução com íons que não pertencem à fase líquida, (superfícies metálicas em contato com a fase líquida).

3) Crescimento de cristais por próprio enlace iônico com outros sais precipitados.

4) Outros fatores como modificações bruscas de temperatura, turbulência no sistema, natureza e estado das superfícies em contato com a solução e presença de outras impurezas.

A cristalização dos íons em solução nas condições mencionadas, produz a formação de compostos iônicos, como sais de cálcio e magnésio, de grande dureza e com forte capacidade de aderência a superfícies de tubulações, em especial a zonas de transferência de calor.

Fundamental.

As incrustações estão compostas fundamentalmente por calcitas em maior proporção e por aragonitas em menor proporção.

Ambos são carbonatos de cálcio com igual composição química, mas de distinta estrutura cristalina.

Elas mantêm seus átomos componentes, mas suas distribuições espaciais diferem significativamente.

Cada uma delas possui formas de cristalização diferentes, propriedades que incidem na forma em que os carbonatos afetam ou não, o crescimento das incrustações.

Em circuitos ou maquinários incrustados em condições normais, se adverte uma proporção amplamente superior de calcitas frente as aragonitas, devido a que as primeiras são cristais

polimorfos e estáveis, contrariamente os cristais de aragonita são amorfos e instáveis.

As calcitas tendem a fazer agrupamentos heterogenias e desenvolvem o crescimento de cristais em superfícies, especialmente nas metálicas.

As aragonitas são muito mais solúveis, fato que determina sua incapacidade de formar incrustações. No caso de encontrar depósitos de aragonitas, os mesmos aparecerão em forma de “lodos semilíquidos”.

A calcita tem uma capacidade incrustante imensamente superior frente a aragonita. Isto é de fundamental importância para compreender o efeito desincrustante do equipamento HIDROMAG, de imas cerâmicos.

Incrustações: o foco de nossa atenção

Quando não se aplica um efetivo controle das reações naturais, a aderência constante e progressiva de carbonatos de cálcio e magnésio provocam um crescimento importante da crosta incrustante, a qual é mecanicamente dura e termicamente é isolante, o que reduz espetacularmente a eficiência da transferência de calor em caldeiras e trocadores de calor.

Isto não só implica perda de vazão e perda de transferência de calor, como também excesso de consumo de energia para produzir o aquecimento ou esfriamento, ou mais importante ainda, o incremento de possibilidades de falhas catastróficas em maquinários aquecidos.

Tensão superficial

Os líquidos apresentam um fenômeno muito peculiar na superfície que estão em contacto com o ar. As moléculas que se encontram na superfície não estão submetidas às mesmas forças de coesão que as moléculas que se acham em meio do líquido; isto se observa na figura 1, na qual se ilustram as forças de coesão nas que se encontram sometidas tanto uma molécula no centro de um líquido, como uma molécula que está na superfície.

Sob a molécula B, que se encontra no centro do líquido, atuam as forças de coesão de todas as moléculas que a rodeiam; estas forças exercem em todas as direções, e a força resultante de estas forças equilibradas valem zero.A molécula A, que está na superfície do líquido, apresenta um sistema desequilibrado das forças, já que e submetida às forças de coesão as moléculas que se encontram a seu lado e por baixo de elas; a soma vetorial de estas forças e uma resultante que vá até o interior do líquido, perpendicular à superfície. Este desequilíbrio nas forças de coesão que se apresenta nas moléculas da superfície de um líquido, da como resultado o fenômeno chamado tensão superficial; este fenômeno consiste na formação de uma espécie de membrana elástica, formada pelas moléculas que se encontram na superfície.

Figura 2. O efeito das forças intermoleculares e forçar as moléculas até o interior da superfície de um líquido, mantendo-as unidas e formando uma superfície lisa.

E graças a este fenômeno que muitos dos insetos podem posar sob a superfície da água sem afundar; também divido a este fato forma-se pompas de sabão onde pode ser possível a flutuação de uma agulha ou faca.

Assim mesmo, por o fenômeno de tensão superficial, os líquidos tendem a diminuir sua superfície livre ao máximo possível; um líquido, quando não é submetido a forças exteriores (como a força de gravidade), tende a adotar uma forma esférica. Os líquidos, que tem mais capacidade para adotar esta forma, são os que apresentam uma maior tensão superficial; um exemplo é o mercúrio. mencionamos que a resultante das forças de coesão que atua sobre as moléculas da superfície, é uma força que se dirige até o interior do líquido de forma perpendicular a sua superfície; se a massa do líquido é muito pequena, então se forma uma esfera.

Uma forma simples empregada para comprovar a tendência dos líquidos a formar esferas realiza-se da seguinte maneira: em um vaso com água e álcool metílico (álcool de madeira), ambas sustâncias mescladas na mesma quantidade, deixa-se cair uma gota de aceite de oliva. A gota se afunda até o limite da mescla álcool-agua mantendo-se em forma de esfera, e fica flutuando, como é mais densa que o álcool porem menos que a água. Existem sustâncias que diminuem a tensão superficial: se chamam tensoactivas; os sabões são exemplos deles.

O “Hidromag” é um elemento que baixa a tensão superficial da água.

sam_0089sam_0187

Os comentários estão fechados